Stele

Atualizado em: Janeiro 2018


publicidade

Indicação

Para que serve?

Atrofia do trato geniturinário relacionada à deficiência estrogênica, especialmente em: tratamento das queixas vaginais como dispareunia, ressecamento e prurido; prevenção das infecções recidivantes vaginais e do trato geniturinário inferior; controle das queixas miccionais (como polaciúria e disúria) e incontinência urinária leve;
Terapia pré e pós-operatórios em mulheres na pósmenopausa submetidas à cirurgia vaginal;
Auxiliar diagnóstico em caso de esfregaço cervical atrófico duvidoso.

Contraindicações

Quando não devo usar?

O produto não deve ser usado por pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula; na gravidez; em caso de trombose; suspeita ou casos confirmados de tumores estrogênio-dependentes; sangramento vaginal sem diagnóstico; história de manifestação ou otosclerose durante a gravidez ou uso prévio de esteróides.

Posologia

Como usar?

Atrofia do trato geniturinário relacionada à deficiência estrogênica, especialmente em: tratamento das queixas vaginais como dispareunia, ressecamento e prurido; prevenção das infecções recidivantes vaginais e do trato geniturinário inferior; controle das queixas miccionais (como polaciúria e disúria) e incontinência urinária leve.

1 aplicação por dia durante as primeiras semanas, seguida de redução gradual de acordo com o alívio dos sintomas, até se atingir a dose de manutenção (1 aplicação 2 vezes por semana);
Terapia pré e pós-operatórios em mulheres na pósmenopausa submetidas à cirurgia vaginal.

1 aplicação por dia 2 semanas antes da cirurgia e 1 aplicação 2 vezes por semana durante 2 semanas após a cirurgia.

Auxiliar diagnóstico em caso de esfregaço cervical atrófico duvidoso.

1 aplicação em dias alternados, 1 semana antes da coleta do próximo esfregaço.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, especialmente se forem intensas ou persistentes. Durante o uso do produto pode ocorrer coceira ou irritação local, ocasionalmente pode ocorrer dor nas mamas ou tensão.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

Para prevenir a estimulação endometrial, a dose diária não deverá exceder a 1 aplicação e nem esta dose máxima deverá ser empregada por muitas semanas seguidas.

Durante o tratamento prolongado com estrogênios, recomenda-se a realização de exames médicos periódicos.

Existem relatos indicando uma associação entre o uso de preparações contendo estrogênios com a ocorrência de colelitíase. No entanto, não se sabe ainda se esta associação existe com o estriol.

Em caso de infecções vaginais, recomenda-se tratamento específico concomitante.

Pacientes portadoras das seguintes condições deverão ser monitoradas: história de processos tromboembólicos, insuficiência cardíaca latente ou manifesta, retenção de líquidos devido à disfunção renal, hipertensão, epilepsia ou enxaqueca (ou história dessas condições), distúrbios hepáticos graves, endometriose, mastopatia fibrocística, porfiria, hiperlipoproteinemia, diabetes mellitus; histórico de prurido, herpes gestacional ou deterioração da otosclerose durante a gravidez ou uso de preparações estrogênicas.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento. Este medicamento causa malformação ao bebê durante a gravidez.

Não existem informações suficientes quanto ao uso de estriol, durante a lactação que permitam aferir o risco potencial ao lactente. Sabe-se que o estriol é excretado através do leite materno, podendo diminuir a produção de leite.

Não se conhecem informações quanto à segurança e eficácia do uso em crianças.

Não se conhecem informações quanto à segurança e eficácia do uso em pacientes idosas.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

A toxicidade aguda de estriol em animais é bastante baixa.

É improvável a ocorrência de superdosagem do produto após administração vaginal. No entanto, se houver grande ingestão de estriol, os possíveis sintomas são: náuseas, vômito e sangramento de privação em mulheres. Não existe antídoto específico. Se necessário, pode-se instituir tratamento sintomático.

Composição

Cada grama contém: estriol 1 mg.

Excipientes: octildodecanol, palmitato de cetila, glicerol, ácido esteárico, álcool cetílico, polissorbato 60, monoestearato de sorbitano, ácido lático, cloridrato de clorexidina, hidróxido de sódio e água purificada.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar?

Mantenha Stele em temperatura ambiente (15 a 30°C), protegido da luz e da umidade.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Apresentação

Creme vaginal: Bisnaga com 50 g + aplicador.

USO ADULTO

Interações Medicamentosas

Existem indicações que os estrogênios, incluindo o estriol, podem aumentar os efeitos farmacológicos de certos corticosteróides. Se necessário, a dosagem do corticosteróide deverá ser reduzida. Também há indicações, obtidas principalmente com outros estrogênios ou anticoncepcionais orais, de que o uso concomitante de estriol com barbitúricos, hidantoínas e rifampicina diminui a eficácia do estriol. O estriol ainda pode aumentar a eficácia dos bloqueadores betaadrenérgicos e alterar a eficácia das insulinas.

Interferência em exames laboratoriais:
Não se conhece a interferência em exames laboratoriais do estriol utilizado por via vaginal.

Informações Legais

Registro MS – 1.0497.0182
Farm. Resp.: Ishii Massayuki
CRF-SP n° 4863

Laboratório

UNIÃO QUÍMICA FARMACÊUTICA NACIONAL S/A
Rua Cel. Luiz Tenório de Brito, 90 - Embu-Guaçu - SP
CEP 06900-000 - CNPJ 60.665.981/0001-18
Indústria Brasileira
Produzido por:
Blisfarma Indústria Farmacêutica Ltda.

CNPJ 03.108.098/0001-93
Indústria Brasileira

< Stelara < Stele > Stiefcortil >
publicidade