Postinor-2



Indicação

Para que serve?

Postinor-2 é um contraceptivo de emergência que pode ser usado para prevenir a gravidez se tomado dentro de 72 horas (três dias) após coito desprotegido ou um acidente contraceptivo. Como um contraceptivo de emergência, Postinor-2 é indicado após qualquer ato de coito desprotegido, incluindo: quando nenhum contraceptivo foi usado; quando um método contraceptivo possa ter falhado, incluindo: ruptura, deslizamento ou emprego incorreto da camisinha; desalojamento, rompimento ou remoção antecipada do diafragma ou do tampão; falha da interrupção do coito (por ex.: ejaculação na vagina ou na genitália externa); cálculo incorreto do método periódico de abstinência; expulsão do DIU e pílulas contraceptivas orais regulares omitidas por três ou mais dias em um ciclo; em casos de estupro.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Com exceção de uma gravidez existente, não há nenhuma contra-indicação médica conhecida para o uso de Postinor-2 para a contracepção de emergência. Não é recomendado o seu uso em uma mulher que tenha uma gravidez confirmada, primariamente porque não será eficaz. Se a gravidez não puder ser excluída, Postinor-2 pode ser administrado, mas a paciente deve estar ciente de que o tratamento não será eficaz se ela já estiver grávida. Em caso de sangramento vaginal anormal não diagnosticado, doenças hepáticas e da vesícula biliar, icterícia gravídica, carcinoma das mamas, carcinoma do ovário, ou do útero (na história), Postinor-2 deve ser administrado após consideração cautelosa da relação risco/benefício. Advertências: o índice de falha de Postinor-2 está baseado no uso de uma vez. Se o Postinor-2 for usado em mais que uma ocasião, o índice de falha acumulativo será mais elevado. O Postinor-2 é recomendado somente para as situações de emergência listadas acima; não é para o uso rotineiro como um contraceptivo.

Posologia

Como usar?

Um comprimido deve ser tomado assim que conveniente, mas não mais que 72 horas após o coito desprotegido. O segundo comprimido deve ser tomado 12 horas após a primeira dose. O tratamento não deve ser desnecessariamente tardio já que a eficácia pode declinar com o tempo. Postinor-2 pode ser usado a qualquer período durante o ciclo menstrual. Se ocorrer vômito dentro de 2 horas da dose, repetir a dose. - Superdosagem: efeitos adversos sérios, não têm sido relatados após a ingestão aguda de doses grandes de contraceptivos orais por crianças. A superdosagem pode causar náusea, e hemorragia por descontinuação pode ocorrer nas mulheres.

publicidade

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Náusea, vômito. Se ocorrer vômito dentro de duas horas da administração das pílulas contraceptivas de emergência, a dose deve ser repetida. Sangramento uterino irregular: algumas mulheres podem experimentar pequenos sangramentos de escape após tomar Postinor-2. A maioria das mulheres terão seu período menstrual seguinte no tempo esperado ou mais cedo; se houver um atraso no início das menstruações de mais que uma semana, a possibilidade de gravidez deve ser excluída. Outras: sensibilidade das mamas, cefaléia, tonturas e fadiga, estas reações adversas geralmente não duram mais que 24 horas.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

Após um único ato de coito desprotegido, o tratamento falha em cerca de 2% das mulheres que usam o Postinor-2 dentro de 72 horas após o coito. O tratamento não deve ser tardio já que a eficácia pode declinar se o mesmo for iniciado após as primeiras 48 horas. Antes de iniciar o tratamento, a gravidez deve ser excluída. O momento do primeiro coito desprotegido desde o último período menstrual deve ser estabelecido para assegurar que a mulher esteja dentro do tempo de tratamento de 72 horas. Outra avaliação de saúde (por ex.: testes laboratoriais, exame pélvico, etc.) não é requerida a menos que o estado de gravidez seja duvidoso. As seguintes condições requerem observação cautelosa: asma, doenças cardiovasculares severas, hipertensão, enxaqueca, epilepsia, doenças renais, diabetes mellitus, hiperlipidemias (hipertrigliceridemia, hipercolesterolemia), história de estados depressivos severos, tromboflebite, doenças tromboembólicas, acidente vascular cerebral. Gravidez e lactação: as pílulas contraceptivas de emergência não devem ser administradas a uma mulher que tenha uma gravidez confirmada, primariamente porque não haverá nenhum efeito. Se, após a avaliação, a mulher necessitar das pílulas contraceptivas de emergência e a gravidez não puder ser excluída com absoluta certeza, é permissível administrá-las. Não há nenhuma evidência sugerindo que as pílulas contraceptivas de emergência sejam prejudiciais à mulher ou a uma gravidez existente. Os contraceptivos orais podem diminuir a quantidade de leite materno. - Interações medicamentosas: algumas drogas aceleram o metabolismo de contraceptivos orais tomados concomitantemente. As drogas suspeitas de terem a capacidade de reduzir a eficácia dos contraceptivos orais incluem barbitúricos, fenitoína, fenilbutazona, rifampicina, ampicilina, griseofulvina e outros antibióticos.

Composição

Cada comprimido contém: levonorgestrel 0,75 mg.

Apresentação

Comprimidos em blister de 2.

Laboratório

Aché

 - SAC 0800 701 6900

< Postec Pomada < Postinor-2 > Postinor Uno >
publicidade