Olanzapina

publicidade

Indicação

Para que serve?

A Olanzapina em comprimidos é indicada para o tratamento agudo e de manutenção da esquizofrenia e outras doenças mentais onde sintomas positivos e/ou sintomas negativos são proeminentes.

A Olanzapina alivia também os sintomas afetivos secundários comumente associados com esquizofrenia e transtornos relacionados.

Em monoterapia ou em combinação com lítio ou valproato, é indicada para o tratamento de episódios de mania aguda ou episódios mistos do transtorno bipolar, com ou sem sintomas psicóticos e com ou sem ciclagem rápida.

Além disso, este remédios é indicado para prolongar o tempo entre os episódios e reduzir as taxas de recorrência dos episódios de mania, mistos ou depressivos do transtorno bipolar.

Posologia

Como usar?

Olanzapina pode ser tomado independentemente das refeições.

  • Esquizofrenia e transtornos relacionados:

A dose inicial recomendada de olanzapina é de 10 mg, uma vez ao dia. A dose diária deve ser ajustada de acordo com a evolução clínica, dentro da faixa de 5 a 20 mg. O aumento de dose diária acima da dose habitual só é recomendado após avaliação médica.

  • Mania aguda associada ao transtorno bipolar:

A dose inicial recomendada de olanzapina é de 15 mg, administrada uma vez ao dia em monoterapia, ou de 10 mg administrada uma vez ao dia em combinação com lítio ou valproato, independentemente das refeições. A dose diária deve ser ajustada de acordo com a evolução clínica, dentro
da faixa de 5 a 20 mg diários. O aumento de dose acima daquela sugerida diariamente só é recomendado após avaliação médica e geralmente deve ocorrer em intervalos não inferiores a 24 horas.

  • Prevenção de recorrência do transtorno bipolar:

Na prevenção de recorrência do transtorno bipolar, a dose inicial recomendada é de 10 mg/dia. Para pacientes que já estavam recebendo olanzapina para tratamento de episódio maníaco, continuar o tratamento para prevenir a recorrência na mesma dose. A dose diária pode ser ajustada posteriormente, com base na condição clínica individual, dentro da variação de 5 a 20 mg/dia.

  • Populações especiais

Idosos: uma dose inicial mais baixa de 5 mg/dia pode ser considerada para pacientes idosos ou quando fatores clínicos justificarem o seu uso. Veja que técnicas usar para dar comprimidos para o idoso.

Insuficiência hepática ou renal: uma dose inicial de 5 mg deve ser considerada.

Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.

Veja ainda estratégias para não esquecer de tomar o remédio.

Contraindicações

Quando não devo usar?

A Olanzapina não deve ser usada por pacientes alérgicos à olanzapina ou a qualquer um dos componentes da formulação do medicamento.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Foram relatados os seguintes efeitos colaterais gerais com o uso da olanzapina: sonolência, ganho de peso, aumento da prolactina, tontura, fraqueza, inquietação motora, aumento do apetite, inchaço, diminuição da pressão sanguínea, lesão muscular grave, obstrução de veia por coágulo, marcha anormal, quedas, incontinência urinária, pneumonia, eventos cerebrovasculares, boca seca, prisão de ventre, elevação das enzimas do fígado, aumento da taxa de glicose no sangue, aumento da taxa de triglicérides e colesterol no sangue, aumento de um tipo de célula branca no sangue, aceleração dos batimentos do coração, lentidão de batimentos do coração, reações alérgicas graves, coceira, erupção na pele com coceira, reações após suspensão do medicamento como sudorese, náusea e vômito, inflamação do pâncreas, sensibilidade à luz, lesões de pele, ereção persistente do pênis acompanhada de dor, hepatite, coma diabético, cetoacidose diabética, diminuição de células brancas do sangue, diminuição das plaquetas do sangue, aumento de fosfatase alcalina, aumento de bilirrubina total, icterícia, perda de cabelos, cansaço e presença de glicose na urina.

Efeitos colaterais observados em pacientes idosos com psicose associada à demência: marcha anormal, quedas, incontinência urinária e pneumonia.

Efeitos colaterais observados em pacientes com psicose induzida por alguns tipos de medicamentos associada com Doença de Parkinson: piora dos sintomas parkinsonianos e alucinações.

Efeitos colaterais observados em pacientes com mania recebendo terapia combinada com lítio ou valproato: ganho de peso, boca seca, aumento de apetite, tremores, distúrbio da fala.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

O desenvolvimento de síndrome neuroléptica maligna exige descontinuação do tratamento com olanzapina.

O uso de olanzapina foi associado ao desenvolvimento de movimentos repetitivos involuntários.

A olanzapina deve ser utilizada cuidadosamente em pessoas com histórico de convulsões, diabetes, com aumento da próstata, íleo paralítico, glaucoma de ângulo estreito, alterações na contagem de células sanguíneas, história de depressão/toxicidade da medula óssea, radioterapia ou quimioterapia, enzimas do fígado elevadas, sinais e sintomas de insuficiência hepática.

Deve-se ter cautela quando olanzapina for prescrita com drogas que alteram o eletrocardiograma, indicando alteração da condução de impulsos nervosos para o coração, especialmente em idosos.

Devido ao fato da olanzapina poder causar sonolência, os pacientes devem ser alertados quando operarem máquinas, incluindo automóveis, enquanto estiverem em tratamento com olanzapina.

Este medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas ou amamentando sem orientação médica.

Este medicamento contém Lactose. Portanto, deve ser usado com cautela em pacientes que apresentem intolerância à lactose.

Mecanismo de Ação

Como funciona?

A olanzapina é um medicamento classificado como antipsicótico e que age no Sistema Nervoso Central, propiciando a melhora dos sintomas em pacientes com esquizofrenia e outros transtornos mentais, e dos episódios maníacos e mistos do transtorno afetivo bipolar. Além disso, nos pacientes com transtorno afetivo bipolar, previne novas fases de mania e depressão.

O mecanismo de ação da olanzapina no tratamento da esquizofrenia e no tratamento de episódios de mania aguda ou mistos do transtorno bipolar é desconhecido.

Olanzapina engorda?

Sim. Um dos efeitos colaterais da Olanzapina é o aumento de peso, por isso algumas pessoas podem engordar durante o tratamento com este medicamento.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

Os sintomas mais comumente relatados em caso de superdose com olanzapina incluem aumento dos batimentos do coração, agitação/agressividade, alteração na articulação das palavras, vários sintomas extrapiramidais e redução do nível de consciência, variando de sedação ao coma.

Outras sequelas significativas do ponto de vista médico incluem delirium, convulsão, possível síndrome neuroléptica maligna, depressão respiratória, aspiração, aumento ou diminuição da pressão sanguínea, alteração dos batimentos do coração e parada cardiorrespiratória.

Casos fatais foram relatados com superdoses agudas tão baixas quanto 450 mg de olanzapina por via oral, porém também foram relatados casos de sobrevida após uma superdose aguda de aproximadamente 2 g de olanzapina por via oral.

Composição

Olanzapina 2,5 mg

Cada comprimido contém:

Olanzapina __________________________________2,5 mg

Excipientes________________________q.s.p. 1 comprimdo

(Excipientes: lactose monoidratada, celulose microcristalina, crospovidona, hipromelose e estearato de magnésio).

Olanzapina 5 mg

Cada comprimido contém:

Olanzapina ___________________________________5 mg

Excipientes________________________q.s.p. 1 comprimido

(Excipientes: lactose monoidratada, celulose microcristalina, crospovidona, hipromelose e estearato de magnésio).

Olanzapina 10 mg

Cada comprimido contém:

Olanzapina __________________________________10 mg

Excipientes________________________q.s.p. 1 comprimido

(Excipientes: lactose monoidratada, celulose microcristalina, crospovidona, hipromelose e estearato de magnésio).

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Caso o paciente se esqueça de tomar uma dose de olanzapina, deve tomá-la assim que lembrar.

Se estiver quase no horário da próxima dose, apenas se deve omitir a dose esquecida e tomar a próxima dose no horário correto.

Não se devem tomar duas doses de olanzapina no mesmo horário.

Laboratório

Aché

 - SAC 0800 701 6900

Dizeres Legais:

MS - 1.1213.0443 | Farmacêutico Responsável: Alberto Jorge Garcia Guimarães - CRF-SP n° 12.449

< Oftpred < Olanzapina > Olcadil >
publicidade