Ciproxil



Indicação

Para que serve?

Nas infecções causadas por bactérias sensíveis à ciprofloxacina.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Não deve ser administrado a pessoas com hipersensibilidade à ciprofloxacina ou derivados quinolônicos.

Posologia

Como usar?

Dose diária/individual no adulto: infecções urinárias baixas (cistites), não de repetição e não complicadas em mulheres previamente hígidas podem ser tratadas com dose de 250 mg, 2 vezes ao dia, durante 3 dias. Outras infecções urinárias, renais, otorrinolaringológicas, bucomaxilofaciais, odontológicas, pulmonares, oftalmológicas, dos órgãos genitais masculino e feminino, do trato gastrintestinal (incluindo febre tifóide), das vias biliares, dos tecidos moles e pele, dos ossos e articulações, risco de infecção em pacientes com neutropenia, esterilização intestinal seletiva em pacientes imunossuprimidos: 250 mg a 500 mg 2 vezes ao dia durante 7 a 14 dias. Em relação a infecções otorrinolaringológicas, a ciprofloxacina está indicada na otite média e sinusite quando causada por agentes Gram-negativos, incluindo Pseudomonas e Staphylococcus (gram-positivos). As infecções graves, as infecções articulares e principalmente as osteomielites podem necessitar de doses mais elevadas: 500 mg 3 vezes ao dia por período mais prolongado. Nos casos de gonorréia (uretrite gonocócica), os pacientes podem ser tratados com uma única dose de 250 mg. Posologia na insuficiência renal e hepática: clearance de creatinina a 20 ml/min. Ou creatinina sérica maior que 3 mg/100 ml: deve-se utilizar a metade da dose diária recomendada em uma única tomada ou dividi-la em duas tomadas. Nas pacientes com insuficiência renal e hepática associada: o mesmo esquema posológico deverá ser seguido, com eventual determinação das concentrações séricas de ciprofloxacina. Pacientes com insuficiência renal em hemodiálise: utilizar metade da dose recomendada em uma única administração após a diálise. Pacientes com insuficiência hepática isolada não necessitam de alterações na posologia.

publicidade

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Trato gastrintestinal: vômito, náusea, diarréia, dores abdominais, flatulência e anorexia. Diarréia grave e contínua, durante ou após a terapia, pode ser causada por colite pseudomembranosa, o que exige imediata interferência médica. Deve-se interromper o tratamento e instituir medicação apropriado (p. ex.: vancomicina 4 x 250 mg/dia). Medicamentos inibidores do peristaltismo são contra-indicados. Sistema nervoso central: tontura, cefaléia, cansaço, agitação e tremor. Casos muitos raros, insônia, disestesia, estado de angústia, crise convulsiva, sudorese, desequilíbrio, pesadelo, confusão mental, depressão, alucinação, aumento da pressão intracraniana. Em casos individuais, reações psicóticas. Estas reações manifestam-se por vezes logo após a 1ª administração. Nestes casos, suspender imediatamente o tratamento. Órgãos sensoriais: raramente alterações do olfato e paladar, distúrbios visuais (diplopia, modificação da visão das cores), zumbido, alteração transitória da audição especialmente de alta freqüência. Reações de hipersensibilidade: em alguns casos, as seguintes reações ocorrem após a 1ª administração da ciprofloxacina, devendo o tratamento ser interrompido e o médico informado. Pele; prurido, febre medicamentosa, muito raramente: petéquias, bolhas hemorrágicas e bolhas com formação de crostas e envolvimento hemorrágico. Síndrome de Stevens-Jonhson e de Lyell, nefrite intestinal, hepatite, necrose hepatocelular, reações anafiláticas ou anafilactóide (edema facial, vascular e edema de laringe, dispnéia progredindo para choque). Em alguns casos após a 1ª administração. Neste casos, descontinuar o tratamento e instituir terapia adequada. Sistema cardiovascular: taquicardia, em casos muito raros: rubor, lipotimia e enxaqueca. Sangue e constituintes: eosinofilia, leucocitopenia, granulocitopenia, anemia, trombocitopenia, muito raramente: leucocitose, trombocitose, anemia hemolítica, alterações dos valores de protrombina. Outras reações: dor articular, muito raramente, sensação de fraqueza geral, dor muscular, fotossensibilidade, alteração transitória da função renal incluindo insuficiência renal transitória. Em casos isolados foi observada aquilotendinite, que possivelmente leva à ruptura do tendão, portanto qualquer sinal de aquilotendinite (tumefação dolorosa), o tratamento a ciprofloxacina deve ser interrompida e o médico consultado. A administração em longo prazo ou repetidas vezes pode levar à superinfecção com resistência bacteriana ou fungos do tipo leveduras. Este medicamento pode alterar a capacidade de reação ao conduzir automóveis ou operar máquinas. Este efeito é potencializado se houver ingestão concomitante de álcool. Interação com testes laboratoriais, sedimento urinário: aumento temporário das transaminases, fosfatase alcalina ou icterícia colestática, especialmente em pacientes com dano hepático prévio aumento temporário da uréia, creatinina ou bilirrubina plasmática. Em casos individuais hiperglicemia, cristalúria ou hematúria.

Composição

Ciprofloxacina.

Apresentação

6 e 14 comprimidos revestidos de 250 e 500 mg.

Laboratório

Química Haller Ltda.

publicidade